02 junho 2013

Retraços da Minha Vida (VIII)

"Sendo levada para onde não se quer estar,
Acorrentada onde a tristeza paira sobre o ar...
Nesse futuro ilusório, mortas são as minhas esperanças,
Vivendo num mundo com sonhos mortos, lembranças...
Num lugar hostil, sem vida, sem amor, sem um lar
Onde não haverá tempo para sorrir, apenas para chorar..."

5 comentários:

  1. Lindo poema, mas triste, Vamos lá sorrir juntas.
    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  2. Pensava que os mais enérgicos e rijamente decididos, não sofriam dessas fraquezas tipicamente de tugas fracos e indolentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa frase escrita por alguém muito nobre, refere-se só e apenas à emigração. Aliás, esta é uma das muitas frases que foi escritra num livro relativamente à emigração... nomeadamente devido ao trabalho.

      Eliminar
  3. sinto-me tantas vezes assim....onde leste essa frase? podes indicar-me o livro? vou levar , beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! :)
      Relativamente a este poema, é apenas uma divagação.

      No comentário acima eu referia-me à frase que o 'Tuga indolente' fez questão de apontar, que é a que tenho como apresentação no meu perfil: "Em Portugal quem emigra são os mais enérgicos e os mais rijamente decididos; e um país de fracos e de indolentes padece um prejuízo incalculável, perdendo as raras vontades firmes e os poucos braços viris."
      Esta foi escritra por Eças de Queirós ;)

      Eliminar

E vocês, o que acham?!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...